Profissionais de arquitetura e urbanismo, sejam eles recém-formados ou antigos na profissão, devem repensar seu ofício nos próximos anos.

E o motivo é o mesmo que causa uma certa instabilidade em várias outras profissões: as mudanças pelas quais o mercado de trabalho tem passado.

A popularização da tecnologia, sua evolução — e o fato de a internet estar presente em tudo e para quase todos — altera profundamente o comportamento das pessoas. São mudanças radicais e, por vezes, incômodas.

Mas que podem significar uma grande oportunidade profissional para quem tiver disposição para se adaptar.

No artigo de hoje, vamos te dar todas as informações que precisa para começar essa adaptação. Está cansado de batalhar um lugar ao sol na arquitetura e urbanismo? Quer se tornar um profissional do futuro? Então leia até o fim:

A internet das coisas vai revolucionar a arquitetura e urbanismo

Não há como começarmos por outro lugar. Quase toda inovação tecnológica que impacta diretamente a arquitetura e urbanismo passa pela internet das coisas. Você sabe o que é isso?

O que é internet das coisas?

Embora o nome seja meio vago, é um conceito simples. Trata-se da tendência de que todo e qualquer aparelho acesse a internet. Mesmo que você não seja uma pessoa muito antenada, já deve ter notado que, hoje em dia, até os dispositivos mais simples estão conectados.

Talvez até se espante se dissermos que há relógios, óculos e geladeiras que fazem isso. E mais: fechaduras, carros e até cômodos inteiros de uma casa podem ser automatizados, se estiverem recebendo informações da rede mundial de computadores.

Então, adivinhe: dentro de poucos anos, você pode estar às voltas com vários projetos conectados como esse. E, sabe como é, nenhuma novidade tecnológica vem sozinha. Os softwares e aplicativos que você usa também estão se adaptando para quando essa época chegar.

A computação em nuvem vai deixar o seu trabalho mais fácil

Mais um termo para o seu dicionário do futuro: computação em nuvem. Você usa isso diariamente, sem nem se dar conta.

DropBox, Google Drive, Netflix e Spotify são bons exemplos de aplicativos muito utilizados e que rodam na nuvem. Eles não funcionam no seu computador, mas sim em um servidor remoto.

Quando quer assistir a um filme, escutar música ou fazer um backup dos seus arquivos mais importantes, você acessa um desses sites e navega por lá mesmo, sem baixar nada para o seu computador.

Alguns softwares conhecidos dos arquitetos e urbanistas também já salvam arquivos remotamente: AutoCad, Revit, VectorWorks e Archicad são bons exemplos.

Se conseguirmos uma conexão mais estável com a internet aqui no Brasil, nos próximos anos, é bem provável que em breve os próprios softwares rodem dessa forma. E a grande vantagem disso é que não vai ser mais necessário um computador superpotente para dar conta dos seus projetos.

Aliás, é bem provável que notebooks e desktops passem a ser vendidos sem o HD interno. Esse item encarece a produção e torna os computadores mais propensos a estragarem.

Os projetos vão ajudar na qualidade de vida dos mais velhos

Juntamente com o desenvolvimento e a popularização da internet, acontece o envelhecimento da população mundial. Nos países europeus, por exemplo, a proporção de idosos já é considerável. No Brasil, a expectativa de vida aumenta e a população envelhece.

Logo, você já tem um dado importante sobre os seus futuros clientes: uma boa parte deles estará na terceira idade. E eles vão te procurar para desenvolver soluções arquitetônicas que suavizem as dificuldades para quem envelhece.

Estamos falando de casas adaptadas, espaços mais confortáveis para quem tem dificuldade de locomoção, ambientes onde tudo fica à mão do idoso e não seja necessário se levantar o tempo todo.

Com o passar dos anos, uma série de preconceitos vêm sendo derrubados e esse pode se tornar o principal público não só da arquitetura e urbanismo, mas de diversas outras profissões.

Praticamente todos os projetos deverão levar em conta a sustentabilidade

Uma questão que já é quase obrigatória em todas as profissões é o do crescimento sustentável. Pela primeira vez, somos obrigados a aceitar que os recursos do nosso planeta — sejam eles a água, as florestas ou o petróleo — não são infinitos.

E quanto mais avançarmos para o futuro, mais vai ser necessário que todas as profissões se adaptem a essa necessidade.

O que influi diretamente no trabalho de arquitetura e urbanismo e estimula a flexibilidade dos profissionais. Afinal, nem todo material estará disponível e nem todo terreno ficará à disposição para construir.

Pode ser que a grande tendência seja de reaproveitar materiais que não se decompõem facilmente, por exemplo. É bem provável que o plástico, a borracha e outros derivados de petróleo sejam reutilizados nas construções do futuro.

E tudo isso junto faz com que a criatividade seja uma característica cada vez mais necessária no ramo de arquitetura e urbanismo.

A transformação das cidades em algo mais agradável

As cidades também devem mudar muito nos próximos anos. A qualidade de vida nos centros urbanos piorou muito, e um dos motivos disso é a falta de planejamento.

Se pensarmos bem, a modificação do nosso espaço já está acontecendo. A dificuldade de locomoção e outras limitações das metrópoles faz com que, a cada ano, mais e mais pessoas optem por abandonar os grandes centros e se instalar em condomínios ou em cidades do interior.

Se essa tendência se confirmar, esse espaço poderá ser reaproveitado e transformado em áreas de convivência, por exemplo. Praças, parques e loteamentos mais humanos podem surgir.

A verdade é que o ofício de arquitetura e urbanismo é muito importante para garantir um futuro melhor. Nas mãos desse profissional está o poder de criar um espaço mais vivo e agradável.

E, juntando as habilidades técnicas e artísticas dos arquitetos, vai ser possível criar cidades, casas e espaços melhores, mais agradáveis e únicos.

Tudo isso, claro, só vai ser possível com o desenvolvimento tecnológico. Internet das coisas, computação em nuvem e o desenvolvimento da Tecnologia da Informação podem transformar a arquitetura na profissão do futuro!

E já que falamos de sustentabilidade aqui, que tal você conhecer o nosso artigo com 5 dicas para o uso sustentável da água? Elas podem ajudar muito nos seus próximos projetos de arquitetura e urbanismo e até evitar o desperdício no dia a dia!