Antes de colocar a mão na massa, pense sobre isso: você sabe como economizar na obra?

Tocar você mesmo uma obra – seja ela uma reforma no local onde mora ou o início da construção da tão sonhada casa nova – pode fugir do controle e estourar facilmente o seu orçamento.

Por descaso ou falta de experiência, aqueles pequenos gastos diários vão se somando e, no final do processo, você pode ter uma surpresa bem desagradável. Para que isso não aconteça, fizemos este artigo.

Confira aqui as 8 dicas mais importantes para que os custos de uma reforma ou construção não se multipliquem sem você perceber:

1) Não tem como economizar na obra sem planejamento

Não adiantaria muita coisa se começássemos o assunto sem te dizer isso. Aliás, a falta de planejamento talvez seja o maior inimigo da economia numa construção ou reforma.

Por isso, comece a sua obra com lápis e papel, antes de colocar a mão na massa. Algumas coisas a serem levadas em conta:

  • O tamanho da obra;
  • Uma previsão aproximada da sua duração;
  • Um cronograma básico de cada etapa;
  • Um orçamento bem detalhado, que contenha o material a ser comprado, o preço dos pedreiros e do arquiteto (se houver) e uma quantia que sirva como margem para imprevistos (isso é muito importante).

Mudanças nesse plano original podem vir a acontecer e são até bem vindas, mas acredite: uma única parede que você levantar sem um planejamento vai custar bem mais caro.

2) O material deve ser comprado a cada nova etapa

Agora que você tem um orçamento e que ele está dividido em etapas assim como o seu cronograma, compre apenas o material necessário para cumprir a primeira etapa do sua construção ou reforma.

Por exemplo, se você vai construir um sobrado de 3 cômodos, adquira primeiro o material para um deles e deixe para comprar o resto depois de cumprida essa primeira etapa.

Dividir uma obra em etapas dessa maneira pode parecer perda de tempo, mas a verdade é que é muito difícil prever a quantidade exata de tinta ou azulejos para um quarto ou banheiro antes de colocarmos a mão na massa.

E, se o material sobra depois da obra pronta, você gastou a mais, não é mesmo?

Conclua cada etapa e use o material que sobrou da etapa anterior no início da próxima, se possível. Ao chegar no final da obra, você não vai acreditar no tamanho da economia!

3) Faça mais de um orçamento

Comprar o material em mais de uma loja pode ser mais econômico, mas complica bem a logística, dependendo do tamanho da obra. No entanto, fazer vários orçamentos diferentes já barateia bem, mesmo que ao fim você compre tudo em uma loja só.

Ter mais de uma opção ajuda muito. Ligue para pelo menos 3 lojas e compare o preço final e os detalhes de pagamento antes de decidir.

4) Compre junto com outra pessoa

O seu vizinho, um amigo ou familiar vai construir na mesma época que você? Essa pode ser uma feliz coincidência!

Como economizar na obra depende também dos descontos que você conseguir – e quase toda loja vai oferecer descontos no valor total para vocês dois, se decidirem comprar juntos – está aí uma ótima chance.

Afinal, que vendedor vai arriscar perder dois bons clientes por causa de um descontinho bobo, não é mesmo?

5) Fique de olho em marcas desconhecidas

Essa dica é importante por dois motivos: o primeiro é que nem sempre a marca mais cara ou mais conhecida é a melhor.

Muitas vezes, a própria necessidade de conquistar lugar no mercado pode levar uma empresa modesta a fazer melhor e mais barato que um líder de mercado de materiais para construção.

O que não deixa de ser uma via de mão dupla, por outro lado: pode ser que você opte por produtos mais baratos mas que vão te dar muita dor de cabeça no futuro. O que nos leva à próxima dica:

6) Escolha pela durabilidade

Algo muito importante para se pensar: o custo de uma obra não pode ser calculado apenas pela nota fiscal das suas compras de material de construção e acabamento e os pagamentos dos profissionais.

Tem muito mais coisa envolvida aí.

Por exemplo, quem garante que aquela torneira barata, a ducha modesta e os canos de marcas duvidosas não vão te deixar na mão logo que a obra acabar?

Esses custos com materiais de baixa qualidade, difíceis de trocar ou sem garantia podem representar um custo alto em médio e longo prazos. Tente colocar esse fator entre as prioridades da sua obra.

7) Considere a sustentabilidade

Quando leu a palavra “sustentabilidade”, você imediatamente pensou em custos altos, certo? Mas não é bem assim.

Da mesma forma como a durabilidade diminui os custos da sua obra em médio e longo prazos, algumas soluções sustentáveis podem te fazer economizar depois de um tempo. Um bom exemplo é a instalação de painéis solares.

A energia fotovoltaica, como é conhecida, tem custo de instalação relativamente alta, mas, depois de instalada, o seu consumo mensal de energia pode chegar a zero. Ou seja, tudo é uma questão de quanto tempo você vai demorar para ter esse investimento de volta.

8) Contrate um arquiteto

E se você tivesse ao seu lado um profissional que sabe tudo sobre como economizar na obra? Tentar cortar gastos  com o arquiteto pode ser um bom exemplo de “barato que sai caro”.

Basicamente, um arquiteto vai chamar a sua atenção para cada um dos tópicos que descrevemos aqui.

Ele vai fazer um planejamento da sua obra, otimizar (e economizar) na etapa de compra de materiais. Além de fazer orçamentos melhores e mais detalhados que os seus e sugerir soluções sustentáveis e econômicas.

Com certeza, tudo isso junto compensa o valor a mais que você vai pagar para ele, certo? Agora imagine toda diferença que esse profissional pode fazer para a beleza e funcionalidade da sua casa nova!

E já que no nosso texto sobre como economizar na obra falamos um pouco sobre sustentabilidade, que tal você dar uma olhada no nosso artigo 5 dicas de uso sustentável da água em sua casa. Quem sabe não vem alguma ideia para essa nova obra?